Cerimonia Ancestral Huni Kin

Home/Eventos/Cerimonia Ancestral Huni Kin

Cerimonia Ancestral Huni Kin

Neste final de ano está chegando à Porto Alegre uma comitiva do povo Huni Kuĩ, um dos povos mais antigos (são descendentes dos Inkas), que vêm trazendo, preservando e protegendo o conhecimento da espiritualidade e das medicinas da floresta.
Seja Bem Vindo a conhecer e se aprofundar nos estudos das Medicinas da Floresta bem como despertar para os cuidados com o uso das mesmas. Informações de uso e propósitos de cura com as medicinas e tratamentos com plantas, serão revelados e ofertados sendo utilizado a Natureza do Sitio TerraZen.

PROGRAMAÇÃO:
Encontro com Rapé : Sábado dia 18 15h R$ 60,00
Cerimônia Ancestral Huni Kin – Sábado dia 18 as 21h – R$ 150,00
Atendimentos individuais de cura com Medicinas – R$ 150,00 (Agendamento Prévio)
Banhos de Curas com Ervas – R$100,00 (Agendamento Prévio)

Ibã Terri, sua esposa D’ani Anelise, Kupi Afonso e sua esposa Same Catarina vêm da Aldeia Pinuya,situada no município de Tarauacá no estado do Acre. Pinuya significa Terra do Beija-flor, a aldeia recebeu esse nome pois é considerada a menor terra indígena demarcada da amazônia legal com apenas 305 hectares, mas apesar de seu tamanho possui uma força muito grande como o pássaro que embora seja pequenino é encantado e possui uma força muito grande.

O Hesheia Kupi Afonso hoje com 77 anos, ou pajé Afonsinho como é mais conhecido,iniciou seus estudos das medicinas aos 5 anos de idade junto ao seu pai, que aprendeu com seu avô. Desde então vem trazendo esse conhecimento e ampliando com seus estudos, que vem ensinando aos filhos, netos e sobrinhos.

Sua esposa Same Catarina tem 87 anos, é uma das parteiras mais antigas da comunidade e também uma das mais velhas, tem um grande entendimento sobre medicinas para mulheres e crianças.

Ibã Terri tem 33 anos, é o filho mais novo do casal, estuda desde criança com seu pai e o acompanha nos trabalhos. Junto com seu pai Kupi, sua mãe e seu irmão mais velho Ibã Edes vêm desenvolvendo o estudo da aplicação das medicinas tradicionais através de tinturas e óleos essenciais, além do registro audiovisual das músicas, histórias, medicinas e conhecimentos da floresta. Também está na coordenação do projeto de construção da casa de medicina tradicional na aldeia, que funcionará como local de atendimento, estudo, preparação das medicinas e “universidade” tradicional (um espaço de formação na área da medicina e do conhecimento), que contará com uma hospedaria para receber pacientes externos.

D’ani Anelise é gaúcha e mora à 5 anos na Aldeia Pinuya, trabalha junto à equipe de medicina tradicional auxiliando nos registros e no projeto de construção da casa da medicina.

Nessa viagem serão realizados trabalhos com as medicinas do nixipae (ayauaska)e do deshke (rape), onde os participantes terão a oportunidade de experienciar um estudo dentro da tradição e do conhecimento que vê sendo vivido geração após geração do povo Huni Kui e dentro desta família;ocasião em que serão conversados sobre vários aspectos, dimensões e profundidade desses estudos.

Também serão realizados atendimentos de saúde com as medicinas tradicionais e trazendo novos estudos realizados com as medicinas da floresta em forma de tinturas e óleos essenciais produzidos pela equipe de pajés.

Essa viagem que tem como um dos objetivos principais visitar a família no Rio Grande do Sul se amplia na busca de parcerias para o término da construção da Casa da Medicina Tradicional – Hiwe Shushati Yuxibu Kume Txeĩka, para os estudos das medicinas do RS e para o mapeamento dos caminhos utilizados desde tempos remotos pelos parentes Ĩka.

2017-10-26T13:22:38+00:00 Eventos|

About the Author:

Deixe uma Resposta